domingo, 3 de agosto de 2014

244 - Orquídea: Arundina Graminifolia


Esta postagem foi intitulada da maneira padrão, neste blog, mas poderia ter sido elaborada com alguma das perguntas abaixo; sim, pois, foi esta a motivação para tal postagem:

  1. Por que esta orquídea não faz parte da maioria das coleções? 
  2. Seria pelo fato de ser popular?
  3. Ou é uma concepção histórica (um modismo) atribuído à sua aplicação?
Então, fui buscar algumas respostas em sites e blogs, a fim de compreender estas e outras indagações:

  • De acordo com o Jardineiro.net, a Arundina graminifolia é uma “orquídea terrestre bastante rústica  (...) e se encaixa perfeitamente no estilo dos jardins tropicais e contemporâneos[1]”.

  • Para o site Jardim de Calateia, trata-se de “uma das poucas espécies de orquídea terrestre amplamente comercializada, (...) destaca-se pela capacidade de se adaptar a diversas situações paisagísticas. (...) é utilizada tanto como cerca viva quanto em conjuntos isolados, a beira de espelhos d’água, ou, ainda, em jardineiras adornando a entrada da casa ou estabelecimento comercial. Sendo planta de fácil manutenção, conquistou o gosto popular. (...) o porte incomum, o crescimento rápido e sua popularidade talvez sejam alguns dos motivos porque essa orquídea ao mesmo tempo vigorosa e delicada, não tenha conquistado o gosto dos colecionadores (...)[2]”.

  • No Minhas Plantas também há uma excelente reportagem (completa e atrativa) sobre esta orquídea, mas destaquei apenas um pedacinho que interessa a nossa apresentação: “a orquídea-bambu é a mais popular entre as irmãs – em muitas ilhas havaianas, aliás, ela se tornou tão comum quanto as flores nativas[3]”.

  • De acordo com o Global Relva ela (orquídea bambu) “tem ganhado cada vez mais espaço nos jardins do Brasil. A principal razão para tal conquista é a beleza de sua flor, mas a pouca manutenção e rusticidade da planta também favorecem a preferência[4]”.

  • Já o Terracota Jardinagem explicita que é “uma espécie muito utilizada em projetos de paisagismo em estilo tropical e contemporâneo, e de fácil manutenção; com inflorescência e ramagem extremamente ornamentais; a floração surge no ápice dos caules, durante todo o ano, juntamente com os keikis[5].

  • Para o Plantas Sonya “(...) pode ser utilizada como bordadura, renques, ou isolada no jardim, assim como em vasos e jardineiras, sozinha ou compondo com outras plantas (...). No paisagismo: forma touceiras e seu uso junto a muros ou paredes ensolaradas causa belo efeito, bem como em canteiros isolados[6]”.

  • Para o blog Meu Cantinho Verde ela pode ser cultivada “ao longo de muros, podendo ser utilizada como cerca viva. Também é utilizada em grandes grupos ou isolada, ao redor de árvores maiores[7]”.

  • Algo parecido está escrito no Orquidário dos Oliveira: “a Arundina bambusifolia, ou Orquídea-bambu, é uma das espécies terrestres mais populares e preferidas pelos paisagistas pelo belo visual que proporciona num jardim[8]”.
Resumindo e ainda perguntando: ela não é almejada por colecionadores por que? ... é  mais indicada para a criação de jardins; é amplamente comercializada; é indicada em paisagismos; usada como planta ornamental; é utilizada como cerca viva; é popular...!
 
 



[3] Disponível em: http://www.minhasplantas.com.br/plantas/orquidea-bambu/ Acesso em jul. de 2014.


[5] Disponível em: http://terracotajardinagem.com.br/?p=9635 Acesso em ago. de 2014.



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...