domingo, 20 de outubro de 2013

Broto de Vanda Manuvadee fcc

Há algumas semanas eu coloquei uma postagem (um pseudoartigo) sobre uma Vanda, a única que tenho; naquele momento eu falava da espera que venho alimentando constantemente, pelas primeiras flores da minha Vanda Manuvadee fcc. Sobre as mudas, podemos destacar aqui que elas “podem ser cultivadas em ambientes de pouca luminosidade, em torno de 40%, acelerando seu crescimento. Plantas adultas podem ser criadas com boa dose de luminosidade e se penduradas em árvores, emitem raízes com novos brotos (...)[1]”.
Depois daquele momento, me deparei com uma mágica surpresa na minha Vanda: não foram hastes, botões, nem flores, foi um pequeno broto, que cresce vagarosamente, agarrado a uma parte de uma das mais antigas raízes, nas profundezas da "estrutura" que a "sustenta"!


[1] A partir de: <http://www.orquideana.com.br.> Acesso em jan. 2010
 
"Raízes crianças" reencontram as "raízes anciãs" e por elas deixam-se passear!
Um abismo abaixo; mas o que temer, se foi gerada na base?
Editei esta foto colocando uma seta que ajuda-nos a compreender a relação de tamanho e distância, entre a matriz e este novo broto.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...