sexta-feira, 7 de junho de 2013

Bromélia: Tillandsia recurvata



Nome Científico: Recurvata Tillandsia;
Nome Popular: Tillandsia Recurvata;
Família: Bromeliaceae;
Subfamília: Tillandsioideae;
Origem: EUA, Argentina e Chile;
Ciclo de Vida: Perene.
"A Tillandsia Recurvata (...) é uma bromélia epífita (...). Suas folhas são como fios retorcidos com três a dezoito cm de comprimento. Elas são cobertas de tricomas cinza prateados ou acastanhado em hastes de tufos curtos. Algumas raízes estão presentes. As rosetas são densas e, às vezes formam colônias. Ela cresce em um aglomerado globular e muitas vezes é confundida com a Barba de Velho ou Musgo Espanhol (Tillandsia Usneóides)". 

"Ela é uma planta florífera discreta, mas não é monótona, no outono produz brácteas cinzas escamosas com flores em forma de funil com pétalas azuis claras ou violetas. É uma planta minúscula, por esse motivo é uma das últimas a serem incorporadas nas coleções de Tillandsias".

"Cultivo – abrigá-las do sol direto, especialmente durante as horas quentes. Conservá-las em um local com bastante luminosidade. Podem viver em uma ampla faixa de temperatura variável entre 10º a 35º C. As regas devem ser feitas com água de chuva ou desmineralizada e em dias alternados (...)".

"Montagem de Arranjos – a montagem ou suspensão das Tillandsias é muito simples. Outras formas de fixação podem ser feitas com o auxilio de linha de pesca, linha encerada ou fio de arame (sem cobre). Os materiais a serem usados como base de fixação podem ser conchas, corais, pedras, cristais, troncos, galhos, variando de acordo com a criatividade e o gosto individual de cada pessoa".

"Circulação de Ar – as Tillandsias devem receber uma boa ventilação de ar ou brisa, pois elas captam os nutrientes de que se alimentam no ar. Mas não toleram ventos fortes, o que deve ser evitado".

"Adubação – é benéfico alimentá-las com adubo de orquídeas hidrossolúvel diluído na água na proporção de ¼ da dosagem recomenda pelo fabricante e aplicado com aspessor em horários amenos ou de sol frio".

"Reprodução – nas plantas matrizes e/ou mãe após florescerem, posteriormente começará a surgir nas axilas dos exemplares pequenos brotos (filhotes), começam então a planta matriz começará a morrer lentamente, deixando em seu lugar de 3 a 5 filhotes que crescerão formando lindas touceiras[1]"

Observação endógena: essa pequenas bromélias sobrevivem com muita facilidade em ambientes urbanos também, principalmente nos fios de energia. N'alguns casos não só uma, mas uma colônia delas persiste! Porém, quando nos fios (sei), não dá pra imaginar ser uma estrutura tão complexa e miúda, para que se forme esta bromélia, e um processo paulatino para a eclosão das minúsculas flores!
Você poderá seguir essas recomendações acima mostradas, para cultivá-las, mas também, se nada fizer, apenas fixá-la num local similar a natureza, ela irá se manter tranquilamente!
Após a eclosão das flores de Tillandsia recurvata (cápsulas antigas, botõezinhos e novas pequenas flores).
Uma 'flor' solitária se projeta: Tillandsia recurvata.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...