segunda-feira, 30 de abril de 2012

180 - Orquídea: Oncidium cebolleta

"O Oncidium cebolleta é uma espécie de orquídeas do gênero Oncidium, também chamada de dama dançante, da subfamília Epidendroideae, da família das (Orquidáceas). O nome científico provêm do latim Oncidium = "inchação", "tubérculo" e "cebolleta" por causa do formato de suas folhas, não é a toa que esta orquídea é chamada de orquídea de folhas de cebola".
"Esta espécie é nativa do Sul do México, da América Central, da Venezuela e do Brasil. Se desenvolve sobre árvores. Área de clima quente e úmido de terras entre 150 e 1.700 m de altitude com luz forte e florescendo nos meses de temporada seca do bosque".


"O Oncidium cebolleta é uma orquídea epífita e ocasionalmente rupícola, com pseudobulbos cilíndricos achatados lateralmente de onde saem apicalmente duas folhas coriáceas carnosas, em seu centro saem duas hastes florais de pequenas e numerosas flores. Possui um ramo floral paniculado. Flores em racimo médio de muitas flores, de 4 cm de tamanho, de cor amarelo forte com manchas de cor de café".
"Têm preferência por muita claridade ou com sombra moderada. Para cultivar, deve-se plantar em um tronco com a base reta não muito largo, para que se possa manter em pé e se coloca a orquídea amarrada a um tutor ao leste. Pode ser colocado no exterior como os Cymbidium para estimular a floração. Em seu desenvolvimento precisa de regas frequentes, porém, quando chega a fase adulta, diminuir as regas até deixá-lo quase seco".

Observação endógena: aos 24 de abril de 2011 eu - meu irmão e meu tio - retornamos a pouca reserva de mata que há na zona rural de Palmeira dos Índios - AL. E foi justamente na área devastada desta mata – numa árvore de Arapiraca tombada, que encontramos o exemplar mostrado.
Aparentemente é semelhante a uma Brassavola perrini (se julgada pelas “folhas” roliças e alongadas), pseudobulbos e folhas, porém em tamanho bem maior, assim como detinha resto de uma cápsula de sementes na última haste floral (inclusive este resto de haste floral levou-nos crer que não se tratava apenas de uma Brassavola perrini bem desenvolvida (evolution!). Essas duas características nunca nós observamos na “comparada”. O maior, destes “tentáculos” chegava a 42 cm comprimento; +/- 1,8 cm de diâmetro e +/-1,9 cm no pseudobulbo.
Após a sua floração, em cujas fotos, pudemos identificá-la com precisão. Trata-se de um belíssimo e surpreendente Oncidium Cebolleta.
Porém, mais uma observação eu acrescento: os 2 exemplares que havia encontrado acabaram escapando das minhas mãos, por causa de umas permutas maravilhosas que eu fiz. Logo, fiquei sem nenhum e nada de encontrar; ficou difícil. Recorri a mais uma permuta, desta feita de forma inversa: eu recebi uma muda de Oncidium cebolleta, nada mais nada menos que vinda de Rondônia. Foi mais uma bela permuta!
 
 
 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...