sábado, 10 de março de 2012

54 - Orquídea: Epidendrum nocturnum

"Epidendrum nocturnum: pode ser rupícola, terrestre ou epífita, sem pseudobulbo, com folhas de cor arroxeada ou verde. A flor solitária sai do ápice do caule".
Distribuição geográfica: "toda Amazônia e Roraima (Norte do Brasil)";
Habitat: "variável, desde savana com 1.000 metros de altitude a mata inundável, de baixa altitude";
Floração: "entre agosto e setembro. A flor mede de 6 a 10 cm, dura 2 dias e, por vezes, só abre a noite".
Status ecológico: "sem risco de extinção" (Revista: Orquídeas na Amazônia. Ano 1; n.º 1; por Francisco Joaci de Freitas Luz).
"Esta espécie, de curiosa flor, passa a constar do inventário das orquídeas alagoanas (primeira relação publicada em 1981) a partir do Aditamento I, divulgado em periódicos da Universidade Federal de Alagoas - UFAL (dez, 1982) e do IBDF (atual IBAMA) no terceiro semestre de 1983".
"Com suas folhas arroxeadas, planta resistente a numerosas pragas e doenças, sementes extraordinariamente férteis".
"Apresenta-se como das orquidáceas mais adaptadas a substratos inúmeros, vegetando com incomum exuberância sobre dracenas, por exemplo; sementes levadas pelo ar, depositadas até sobre rochas nuas dão origem a sadias plantas, mas à sombra".
"Por não ser planta exigente (deve, todavia ser protegida contra a incidência direta dos raios solares). É bastante recomendável para cultivo" (PEREIRA, Luis de Araújo. Álbum das Orquídeas de Alagoas – Maceió: IMA-AL/PETROBRÁS/TRIKEM/, 2000 p. 191).

Observação endógena: esta Epidendrum nocturnum (epífita) mostrada nas fotografias, floriu a vez primeira em 2011. A flor, após aberta durou cerca de vinte dias até secar e manter uma cápsula de sementes. A característica de abrir somente a noite é marca registrada em seu nome. Significa que, ao inverso e outras orquídeas (como a Cattleya labiata, por exemplo, que pela manhã pode estar em botões e no fim da tarde com as flores abertas), o Epidendrum nocturnum só faz esse processo a noite, ou seja, anoitecerá com a flor envolvida no invólucro protetor e amanhecerá aberta.
Terminado o ciclo de reprodução deste Epidendrum nocturnum.
E. nocturnum: com o ciclo formado a cápsula se rompe e as minúsculas sementes são levadas pelo vento.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...