quinta-feira, 13 de outubro de 2011

11 - Orquídea: Prosthechea fragrans

“O seu nome deriva do grego: ep (i) = sobre + dendrum = árvore, fazendo referência ao seu habitat epifítico. Por incluir mais 1.100 espécies, é apelidado por alguns autores de mega-gênero” (copiado...).
“Suas estimadas flores, graciosas e de porte atraente, apesar de não serem de maiores dimensões. Exalam agradabilíssimo perfume, confirmando a denominação, pois a fragrância é sua marca característica. Talvez por este motivo é planta de presença assegurada em nossos orquidários regionais. Encontrada sobre árvores em altitudes, imagino, em torno de 250 m. Em nossos jardins sobrevivem nas goiabeiras e em ramos de citros” (copiado) 
“Espécie nativa não endêmica ao Brasil ocorrendo na Amazônia e na Mata Atlântica das regiões Norte (Acre, Amazonas, Pará), Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Sergipe), Centro-Oeste (Mato Grosso), Sudeste (Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo) e Sul (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina). Para cultivo vai bem em troncos de árvores e casca de Pinus a meia luz. Plantas de ambientes mais secos tendem a ser menores, mas com irrigação e adubação corretas crescem desenvolvendo mais que o dobro do tamanho. Resistente a pragas. Se caracteriza pelo cheiro forte de baunilha que exala das flores pequenas, por volta de 4 ou 5, alvas com riscos característicos do labelo acuminado[i]”.
Foi transferida para o gênero Prosthechea, em 1997 por W. E Higgins.

Sinônimos:
Fragrans Encyclia [Swartz] Lemee 1955;  
Epidendrum cochleatum Curtiss;  
Epidendrum cordatum Ruiz & Pav. 1798;  
Epidendrum fragrans Sw. 1788;  
Epidendrum fragrans var. ionoleucum Hoffm. ex Barb Rod 1881;  
Epidendrum fragrans var. Magnum Stein. 1892;  
Epidendrum fragrans var. pachupus Schlechter 1922;  
Epidendrum ionoleucum Hoffm. Ex. Rchb. f 1852;  
Epidendrum lineatum G. Salisb. 1796;  
Epidendrum vaginatum Sesse & Mocino 1894;  
Hormidium fragran [Sw] Brieger 1961;
Fragrans Anacheilium (Sw.) Acuña 1938

Observação endógena: a minha floriu a vez primeira no final de fev. para o início de mar. de 2008 e, devido a pouca sustança dos bulbos, forneceu apenas 3 flores, de agradabilíssimo perfume. Como foi adquirida muito frágil, ela precisou de cerca de 6 meses para se recuperar e exibir as primeiras flores; nos anos seguintes demonstrou boa adaptabilidade e vem florindo com mais vigor, sucessivas "florações perfumadas"!
 
 
 
 
 



[i] Disponível em: http://www.assope.com.br/?p=829 Acesso em mar. de 2014. 
[ii] Disponível em: http://orchids.wikia.com/wiki/Prosthechea_fragrans Acesso em mar. de 2014.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...