terça-feira, 17 de janeiro de 2017

156 - Sophronitis cernua: a segunda chance

Esta é uma segunda chance com a belíssima (e "pequena grande") Sophronitis cernua, isto porque eu havia postada sobre uma delas em dezembro de 2012 (isto é, há mais de 4 anos). Aquela infelizmente definhou (assim como tantas outras orquídeas que já perdi, principalmente as micro), mas eu persisti na vontade de ter um bom cultivo deste gênero e especialmente desta espécie.
Esta nova muda foi adquirida em 2013 e veio a florir apenas no segundo semestre de 2016. Após a floração mantém-se robusta e firme para continuar formando uma forte touceira.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

286 - Orquídea: Bulbophyllum elassonotum

Após fazer diversas postagens sobre as orquídeas que floriram em 2016 e que são reincidentes, é hora de postar sobre aquelas que floriram, também no ano passado, mas de forma inédita e animadora, enriquecendo e colorindo o orquidário, eis que figura um Bulbophyllum.
Observação endógena: em 2016 eu resolvi que deveria tentar o cultivo de orquídeas do gênero Bulbophyllum, sendo um, dos inúmeros que ainda não compunham minha simples coleção. Comprei, então, as primeiras plantas deste gênero, dentre adultas e bastante jovens, foram elas: bulbophyllum carunculatum, bulbophyllum rothschildianum e bulbophyllum elassonotum (o único adulto desta tríade aquisição); eis que, sete meses depois de sua aquisição ele me presenteou com esta bela florada.
“Origem: Tailândia, Vietnam; flor: cacho floral pendente simples; epífita - vivem fixas em árvores, [pode ser muito bem] cultivada em vasos e placas; clima: quente; curiosidade: essa é uma das espécies mais cultivadas entre os colecionadores brasileiros; sombreamento: 50 a 70%; substrato: mistura de cascas, carvão e isopor. No caso de amarrar em árvores, as plantas devem ser regadas 2 a 3 vezes por semana até o enraizamento no tronco[i]”.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Blc. waikiki gold 'Lea' - flores 2016

A última vez que eu havia postado sobre esta orquídea, a Blc. waikiki gold 'Lea' foi em 2013. Entre aquele ano e o ano de 2016 ela havia parado de florir por conta de uma mudança de vaso e por causa das condições climáticas mais severas, ocorridas na região.
Este é um híbrido de rara beleza e de perfume singular; uma particularidade das flores é que elas vão intensificando as suas cores a medida que amadurecem, tornando-se assim ainda mais propensas a cor de "ouro" (este processo pode ser observado através das fotos abaixo). No ano anterior foram mais de uma dezena de lindas, grandes e perfumadas flores.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Oncidium cilliatum - flores 2016

Este é um Oncidium que considero ser de fácil cultivo, no entanto, antes de chegar a esta conclusão eu perdi algumas mudas. Isto porque no início, quando comecei a cultivar orquídeas queria tratar a todas de forma semelhante, colocando mudas de Oncidium cilliatum plantadas em vasos, mais cedo ou mais tarde morriam, por conta de um apodrecimento que acometia as raízes e depois a planta inteira. O fato é que esta orquídea se desenvolve melhor se cultivada fixada em placas, troncos, leques etc. ou seja, suportes que não permitam o acúmulo de água por tempo considerável, já que as suas raízes preferem secar mais rapidamente.
No ano de 2016 foram dezenas de flores produzidas em diversas e extensas hastes florais.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Dendrobium híbrido - flores 2016

Quando eu publiquei a vez primeira sobre este Dendrobium híbrido, em outubro de 2014, jamais imaginaria que numa segunda florada ele potencializaria tanto a quantidade e a qualidade das flores. Em termos de quantidade, este Dendrobium aumentou de 1 flor (na primeira floração) para 16 flores nesta atual floração. As mesmas estiveram distribuídas no decorrer de 3 bulbos bastante saudáveis. O que deve-se levar em conta é que a planta evidentemente cresceu nos últimos anos, mas também passou por mudanças signiifcativas como trocas de vaso e de substrato, além da aplicação de adubos (mensalmente) do tipo Bokashi (trata-se de é um composto orgânico, obtido através da fermentação controlada de uma mistura de farelos e tortas vegetais, acrescido ou não de farinhas de origem animal e pós de rocha; se constitui numa remota técnica japonesa para enriquecimento de solo).

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Mini Phalaenopsis estriada - flores 2016

Apesar de se tratar de uma mini Phalaenospsis, ela consegue produzir flores de tamanho interessante, algo semelhante as flores da maioria das orquídeas do gênero Denphal.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Epidendrum difformis - flores 2016

As pequenas flores do Epidendrum difformis conseguem criar um lindo espetáculo, um pequeno e belo buquê, porque abrem simultaneamente e se distribuem uniformemente. Outra particularidade deste Epidendrum é sua facilidade em gerar cápsulas de sementes em praticamente todas as suas floradas.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...