Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

85 - Orquídea: Cattleya nobilior

ESPÉCIE:
“Descrita em 1883, seu nome surgiu após uma comparação com a Cattleya walkeriana, que havia sido descrita 40 anos antes, com a qual era confundida. O nome nobilior significa mais nobre e a planta tipo apresenta uma quantidade infinita de tons desde um roxo escuro até um lilás suave. O seu cultivo no Mato Grosso do Sul, vem disseminando conhecimento sobre esta maravilha considerada a ‘Rainha do Cerrado’”.

HABITAT:
“É uma orquídea cujo habitat estende-se por uma vasta região abrangendo os estados de MS, MT, GO, TO, BA, MA, RO, além dos vizinhos Bolívia e Paraguai, em regiões sujeitas a longos períodos de estiagem e alta luminosidade”.
 
FLORAÇÃO: 

“A floração ocorre principalmente nos meses de Julho e Agosto. Exala um odor agradável e duradouro capaz de manter um ambiente perfumado durante todo o tempo de floração”.

VARIEDADES: “(...) podem ser encontradas outras variações na coloração como alba, albescens, coerulea, concolor, flamea, estriada, lilacina, rubra, semialba suave, suavíssima, vinicolor e venosa[i].

 
Observação endógena: adquiri esta nobre Cattleya em set. de 2012 e somente este ano ela floriu, em apenas uma flor; portanto, a espera foi um pouco longa.
Esta primeira floração se iniciou em agosto, deste ano. Semelhante a outras orquídeas, como a Laelia jongheana (já mostrada neste Blog), por exemplo, o bulbo que originou a flor teve inicialmente - única e exclusivamente - esta função; qual seja: proporcionar a floração e somente após a flor murchar é que surgiu um novo bulbo (para a "função reserva de nutrientes e formação de folhas"), a partir do anterior (de "função flor").
Encantei-me com a simplicidade da flor, ao mesmo tempo que rica em detalhes e tons do claro ao mais escuro. Particularmente, o que me chamou mais a atenção nesta Cattleya foi a forma do seu labelo, desde a base e as estrias em tons mais escuros e por fim as terminações também de um rosa escuro e nas "pontas" laterais vai se estendendo, como se quisesse tocar as sépalas. Esta bela flor existiu por 15 dias.
 
 
 
 

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Lançamento Vol. 4: "As Orquídeas da Serra do Castelo"

Informações valiosas a respeito do novo volume (4) da coletânea: "As Orquídeas da Serra do Castelo".
O 4º volume de “Orquídeas da Serra do Castelo”, de Guy Chiron e Renato Ximenes Bolsanello, em edição bilíngue Português/Francês, já está sendo vendido. O objetivo dessa coletânea é fazer um levantamento das mais de 730 espécies que habitam a Serra do Castelo, no Estado do Espírito Santo.
A obra resulta de um trabalho de mais de 14 anos, período no qual aqueles pesquisadores se dedicaram à busca de documentação e a um levantamento fotográfico e taxonômico exaustivo da região. No 4º volume, com 538 páginas em papel couché, são registradas 210 espécies de 69 gêneros, com 246 fotos e 190 ilustrações em nanquim. O livro traz notas taxonômicas, descrições morfológicas, pranchas botânicas e fotos em cores de cada espécie.
Cabe destacar que, até agora, foram lançados os volumes 02, 03 e 04 de “Orquídeas da Serra do Castelo”. Fica faltando apenas o 1º, que, segundo os autores, deverá estar pronto em janeiro do próximo ano.
As Orquídeas da Serra do Castelo é um LIVRO de consulta valioso para quem é iniciante ou pesquisador experimentado. Porém, mais do que isso, ao reunir numa única obra, 30% das espécies de orquídeas do Brasil (estima-se um total de 2.500), chama a atenção para a importância da manutenção dos poucos trechos de Floresta Tropical Atlântica que nos restaram.
Interessados em adquirir um ou mais tomos da obra podem solicitar informações pelo e-mail: renatoxb@hotmail.com
Um enorme abraço,
M.Sc. Renato Ximenes Bolsanello
Dr. Guy Chiron
Capa deste volume 4.
Interno/páginas.
Uma postagem  anterior, abordou sobre o lançamento do 3º volume (confira neste link) podendo ser novamente vista.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

98 - Orquídea: Dendrobium híbrido


“A maioria dos Dendrobiums é de plantas epífitas. Umas poucas foram encontradas em rochas e outras, em ainda menor número, são terrestres, por isso Olaf Swartz, que estabeleceu o gênero em 1799, deu-lhe o nome ‘Dendrobium’, do grego ‘dendros’ = árvore e ‘bios’ = vida ou, em outras palavras, ‘planta vivendo nas árvores’”. 
“Quase todos gostam de luz natural intensa para que desenvolvam pseudobulbos saudáveis, mas deve ser evitado o sol forte direto, que pode queimar suas folhas. Esse tipo de luz, entretanto, não é necessário o ano todo, mas sim no período de crescimento ativo. Por causa disso é difícil criar Dendrobiums dentro de casa ou sob luz artificial[1]”.

Observação endógena: este belo Dendrobium híbrido é fruto de um presente. Eu tenho certeza que presentear e ser presenteado é muito bom, mas quando esse presente é uma orquídea (seja ela qual for) o presente se torna ainda mais especial e comemorado, porque uma orquídea é uma vida (capaz de alegrar outras vidas) que chega até nós!
E quem me presentou este, sem me causar nenhum ônus, foi a Bete, do conceituado Blog da Bete Orquídeas. Ele veio em outubro de 2012, junto com outros dendrobiums híbridos, e de outras espécies. O tempo por aqui era verão (quente e seco), por isso eu perdi algumas mudas, mas por outro lado, alguns outros escaparam, e um deles é este, que ora apresento a sua belíssima flor!
Após a florada ele iniciou uma vasta produção de keikes, logo eu poderei retribuir a generosidade da Bete, presenteando algumas mudas, a outros amantes do cultivo de orquídeas.
Muito obrigado, Bete!
 


[1] Disponível em: <http://www.aorquidea.com.br/arq04.html#DENDROBIUM>. Acesso em abr. de 2012.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Dia de Aniversário!

Há exatos 3 anos (em 3 de outubro) nascia o Orquídeas-Bromélias, ou pelo menos foi nesta data que eu publiquei a sua primeira postagem, por sinal, bastante modesta, sobre uma Bromélia (a aechmea). E pensem que interessante: desde o desenvolvimento deste blog, temos dado uma atenção especial ao cultivo e a publicação sobre as orquídeas, mas foi a postagem intitulada: "Bromélia: Aechmea blanchetiana" que inaugurou o Blog.
Desde então, tentamos alternar as postagens sobre as bromélias e as postagens sobre as orquídeas, mas as bromélias logo viram que seria impossível competir (pelo menos até o momento tem sido assim).
O blog só existe porque um grupo de amigos: mais virtuais do que presenciais o prestigiam dia após dia, somando já uma quantidade de mais de 70.000 visualizações! Porém, não são apenas visualizações (números), pois muitas vezes, elas vem acompanhadas de comentários de incentivo, elogiosos e recompensadores.
Por isso o nosso empenho para tentar melhorar a cada acesso, a cada visão... até o momento são 57 seguidores via Blogger; 98 seguidores via G+; 121 postagens, sendo as mais vistas: Denphal alba (3.371 visualizações), 18 Orquídeas parecidas com animais (2.576 visualizações), "Polinização de Orquídeas" (1.477 visualizações), Catasetum macrocarpum/flor masculina (1.355 visualizações), Sophronitis cernua (660 visualizações), além de: Oncidium cebolleta, Catasetum macrocarpum/flor feminina, Brassavola perrini, Cattleya labiata amesiana e "Meu Orquidário".
Os países que mais visitam o Blog são, evidentemente, o Brasil (46.920), Estados Unidos da América - EUA (11.598), França (1.890), Portugal (1.745), Alemanha (940), Rússia (734), Letônia (702), Malásia (440), Espanha (322) e Canadá (202).
Nossa Comunidade no G+ "ORQUÍDEAS-BROMÉLIAS" vem crescendo consideravelmente e já conta com quase 200 seguidores e membros ativos, que postam diariamente e enriquecem a nossa página.
Mas, como dito anteriormente, este Blog é feito a partir do incentivo dos seus leitores e amigos/incentivadores diários e permanentes! Por isso, o meu muito obrigado a tod@s!
Como estamos em festa, deixo abaixo a foto da festiva "Potinara haw yang gold".

domingo, 28 de setembro de 2014

249 - Orquídea: Ionopsis utricularioides


“Habitat natural: espécie epífita que se desenvolve a baixa ou média altitude, estando distribuída por uma vasta área, desde a Florida (EUA), até Brasil e Paraguai, abarcando, países da América do Norte, Central e do Sul”.
“Cultivo: prefere o cultivo em placas de cortiça ou madeira, proporcionando o crescimento livre e arejado das raízes. Aprecia temperaturas médias/altas, elevado teor de umidade, regas e fertilizações regulares ao longo do ano[1]”.
Possui “haste floral de 15 a 30 cm de comprimento e inflorescência na ponta, racimos portando várias flores diminutas (em torno de 1 cm), com pétalas e sépalas cor ligeiramente rosa como que envolvendo o labelo em sua base, cuja cor varia do branco ao lilás escuro com estrias cor vinho (...). Plantada diretamente em galhos finos de pés de romã, laranjeira, cafeeiro ou goiabeira surte bons resultados, pois se adapta com facilidade nessas condições. Ideal cultivá-la em galhos finos amarrados em feixes (...)”.

Classificação: Gênero: Ionopsis H.B.K.; Espécie: Ionopsis utricularioides (Sw.) Lindley;
Tribo: Cymbidieae;
Subtribo: Oncidiinae;
Etimologia: Ionopsis, do grego “íon”, violeta; “opsis”, aparência; provável referência ao colorido das flores;
Epíteto: utricularioides, do latim “utriculu”, odrezinho, pequena vesícula; do grego “(o)eidés”, aspecto ou forma de, semelhante a; em referência ao formato da flor lembrando um odre (antigo saco feito de pele e destinado ao transporte de água, sobre o lombo dos animais)[2]”.

Observação endógena: adquiri esta orquídea (na primeira semana de agosto deste ano), e ela já veio com uma pequena haste floral, composta por pelo menos 12 botões. A espera durou pouco e em algumas semanas (por volta do dia 20 de agosto) eu já pude apreciar as pequenas flores (uma novidade agradável). Todas elas abriram num curto tempo de 1-3 dias e permaneceram  plenas por mais de 2 semanas. A maneira como as flores se projetam, pendidas na ponta da haste (bem com os seus tons), provocam uma visão muito interessante, o que, apesar de pequenas, conseguem enfeitar qualquer orquidário!
 
 
 

sábado, 20 de setembro de 2014

211 - Orquídea: Oncidium Twinkle 'wine red'

Sobre este híbrido de Oncidium não tenho encontrado informações relevantes, principalmente na inernet; o que se sabe é que é originário do cruzamento entre o Oncidium cheirophorum e o Oncidium  ornithorhynchum e é planta de fragrância extremamente agradável.
O Oncidium Twinkle 'wine red' ('vinho tinto') é uma orquídea epífita, que se adaptou muito bem ao cultivo, aqui nas temperaturas altas do Nordeste do Brasil.

Observação endógena: o mesmo foi adquirido em nov. de 2013 e já tratava-se de uma planta bem formada (já contava com pelo menos 7 bulbos adultos), apesar de ser de porte pequeno. Coloquei-a amarrada sobre - pelo menos - dois pedaços de tronco pequenos, com frestas para o interior, envolvidos com sphagnum. Os primeiros sinais de hastes (4) florais foram percebidos a partir do início de abril, deste ano. Mas precisei esperar até fins de julho para ver as pequenas, porém, imponentes flores, abertas. Elas se multiplicaram em mais de 50 pequenas flores, de formatos curiosos (incomuns) e de odor que parecia atrair as moscas; perduraram até meados de agosto.
 
 
 
 
 

sábado, 13 de setembro de 2014

236 - Orquídea: LC. Gold Digger

Sobre esta orquídea híbrida, epífita, há poucas informações na internet (que vem sendo nossa maior fonte de pesquisa).
Mas de acordo com o Orquidário Imperial (do qual adquiri esta orquídea) é “planta que produz flores amarelas em cacho com bastante substância (aparência encerada) que se traduz em durabilidade. Hastes com até 12 flores. Planta de fácil cultivo e crescimento vigoroso[i]”.
 
Observação endógena: realmente ela se mostrou de fácil cultivo, pois foi adquirida em março deste ano e tão logo, em julho, iniciou uma primeira floração, através de 2 belos botões de tonalidades verdes; aos poucos eles foram ganhando um tom amarelado, até a abertura das flores, de um amarelo-ouro incrível, com labelo tingido de vermelho (um charme todo especial). As 2 flores permaneceram abertas até meados de agosto e exalaram perfume agradável e suave, principalmente pela manhã; são flores grandes, de dimensões que se assemelham muito com as da BlC. Waikiki Gold 'lea'.

[i] Disponível em: http://www.orquideasecia.com.br/hibridos/lc-gold-digger.html acesso em set. de 2014.